fbpx
Rio de Janeiro/Brasil
+55 (21) 99991-3099
contato@leofarias.com

Quanto vale uma foto?

Leo Farias Photos

Quanto vale uma foto?

Por: Léo Farias

Acho que o primeiro pensamento que vem à sua cabeça, leitor, é o valor monetário, mas não é a este que me refiro. Me refiro ao valor sentimental e o turbilhão de pensamentos, reflexões e lembranças que uma foto pode trazer.

As fotos dizem muito para mim, e tenho certeza que foram uma influência direta dos meus pais, já que para época, eu e meus irmãos fomos crianças amplamente fotografadas, e principalmente em contato com este universo tão comum nos dias de hoje.

E você, consegue se lembrar de alguma foto marcante?

As fotos que mais gosto são:

  • Eu, meus pais e irmãos, tirada em Santa Teresa, Rio de Janeiro, em fevereiro de 1983, quando eu tinha dois anos de idade;
  • Eu, meus pais, irmãos, vó materna e tio, em Portugal, em 1982, se não me engano. Esta foi a minha primeira viagem internacional;
  • A foto do meu casamento, com a minha amada esposa, Carolina. Em 20 de abril de 2019, na data mais feliz da minha vida até hoje;
  • A polêmica foto (qualquer dia desses farei um post falando mais sobre ela), que mostra 11 operários sentados em uma viga de aço, no 69º andar do que veio a ser o RCA, no Rockfeller Center, em Nova York, EUA, em 20 de setembro de 1932; e
  • A foto em que o ex-marinheiro norte-americano George Mendonsa celebrava o fim da 2ª Guerra Mundial, quando beijou a enfermeira Greta Friedman, na Times Square, em Nova York, em 14 de junho de 1945.

Essa lista é muito maior, e inclui registros de vários fotógrafos famosos ou não, que tive a oportunidade de ter contato com os seus registros.

Família Farias, Santa Teresa
Casamento Léo e Carolina Farias
Família Farias, Portugal
Times Square, Nova York
Rockfeller Center, Nova York

Agora sim! Vamos falar de valor monetário? Você tem ideia de qual foi o maior valor pago por uma única fotografia em toda a história da humanidade? O fotógrafo alemão Andreas Gurksky, capturou o rio Reno, na Alemanha, em 1999, e foi impresso em 3,5 m x 2,0 m. As fotos em questão ficaram famosas ao serem abrigadas em museus como o The Museum of Modern Art (MoMa), em Nova York e Tate Modern, em Londres. Em 2011, uma delas foi vendida, a Rhein II, por US$ 4,3 milhões. Dá para acreditar? O fotógrafo removeu pessoas e prédios e produziu um registro do curso d’água.

Rhein II, de Andreas Gursky (1999)

Não sabe fotografar ou ainda têm dúvidas básicas sobre o assunto? Dê uma olhada neste post!

Referências Bibliográficas:

FLEURY, Fábio. Marinheiro da famosa ‘foto do beijo’ da 2ª Guerra Mundial morre aos 95. Disponível em: <https://noticias.r7.com/internacional/marinheiro-da-famosa-foto-do-beijo-da-2-guerra-mundial-morre-aos-95-18022019>. Acesso em 12 mai. 2020.

LOPES, Gilmar. Foto de trabalhadores almoçando em uma vida nas alturas é real? Disponível em: <https://www.e-farsas.com/trabalhadores-almocando-em-uma-viga-nas-alturas.html>. Acesso em 12 mai. 2020.

SUPER INTERESSANTE. 10 fotografias mais caras do mundo e suas histórias. Disponível em: <https://super.abril.com.br/blog/superlistas/10-fotografias-mais-caras-do-mundo-e-suas-historias/>. Acesso em 12 mai. 2020.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *