Aprendendo a fotografar

O que é relevante para você registrar?


Todas as respostas para esta pergunta são válidas e igualmente importantes. Essa pergunta é para induzir você a uma breve reflexão.

Com o advento da fotografia digital, e principalmente das câmeras nos celulares, fotografar se tornou algo mais corriqueiro e indiscutivelmente barato. Com isso, centenas de milhares de imagens são capturadas diariamente. O que percebi com isso? Bem, digamos que as vezes me questiono o quão importante poderiam ser determinadas composições fotográficas de outras pessoas. Será que as inúmeras fotos tiradas de seus celulares ou câmeras digitais realmente terão uso ou elas estarão condenadas a ficar dentro de pastas pelos restos de suas vidas ou das vidas dos seus respectivos dispositivos?

Em um momento da minha vida, percebi que a grande maioria das pessoas que conheço, quando viajam, tiram inúmeras fotos muito parecidas, com a mesma pose e a única coisa que muda é o fundo. E aí concluí que ao ver os álbuns dessas pessoas não era possível ter ideia da beleza dos lugares visitados, e na grande maioria das vezes, eram lugares sabidamente belíssimos, mas infelizmente seus registros não passavam essa ideia. A partir daí, veio a minha vontade de fazer com que todas as minhas viagens fossem registradas de forma a permitir àqueles que nunca estiveram naquele lugar, terem plena ideia de onde eu estive. Mas, nem sempre é uma tarefa fácil, já que os pontos turísticos ao contrário do que possa parecer, sempre estão com inúmeras pessoas tentando tirar fotos dos mesmos ângulos e lugares. Sendo assim, também procuro o que é diferente, o que faz as pessoas se perguntarem aonde fui para conseguir aquele registro, se perguntarem como foi possível se também estiveram lá, como não enxergaram aquilo.

E aqui vai um conselho, estude! A fotografia, como qualquer outra prática, tem a ver com talento, mas também com técnica. O famoso olhar fotográfico pode ser treinado, e assim como diversas outras técnicas fotográficas. 

Já perdi a conta de quantas vezes escutei afirmações como: – “Nossa! Suas fotos são muito boas, a sua câmera deve ser excelente!” ou – “Ah, com essa câmera que você usa, fica fácil fotografar”. Sempre levo na brincadeira e respondo, com um largo sorriso no rosto, a minha resposta padrão: “Não é a câmera que é boa, é o fotógrafo!” Brincadeiras a parte, ainda hoje, muitas pessoas acham que tirar uma excelente foto é sinônimo de ter um equipamento caro ou exclusiva questão de sorte.

Uma das minhas fotos favoritas, foi tirada em Paris, há mais de 10 anos, quando a única câmera que tinha disponível era uma Sony Cyber

Museu do Louvre, Paris: 2007

shot P9. Nem tripé eu usava, pois não tinha ideia das suas infinitas funcionalidades. Essa foto foi tirada no início da madrugada, sem tripé, apoiando em algum objeto da calçada em frente ao museu do Louvre, e com um equipamento barato se comparado aos valores dos profissionais disponíveis no mercado, nesta época.

Quando o interesse pela fotografia bateu à minha porta, não tinha tempo para fazer um curso. Então, decidi comprar um livro. Tal escolha teve como principal fundamento o tempo que tinha disponível para me dedicar ao assunto. O ritmo de estudo através de um livro é diretamente associado à disponibilidade e possibilidades do leitor e não de um professor ou instrutor em um curso. Após alguma pesquisa pela internet, fiz minha a escolha. E gostei tanto que até hoje indico o título para quem me pergunta o que pode fazer para começar a fotografar. Já dei de presente, já emprestei e volta e meia dou uma pesquisada para saber se existe alguma edição nova. Trata-se do livro, Escola de Fotografia. Mas detalhes desta obra, a seguir:

Título: Escola de fotografia
Autores: José Antonio Ramalho e Vitché Palacin
4ª edição, 2004. Editora Futura
ISBN: 85-7413-184-9

Em 2013, este título teve seu conteúdo ampliado e foi dividido em dois volumes: Escola de Fotografia Guia da Estética e Escola de Fotografia O Guia da Técnica (indico começar por este aqui). Não deixe de conferir outros títulos no site do autor.

Então, se realmente gosta de fotografia, por que não se matricular num curso? Ou talvez por que não comprar um livro sobre o assunto? Você não precisa comprar um equipamento caro para começar a fotografar. Para aprender, até um celular serve. 

Fica aqui o meu convite, e te desejo boas fotos!

Skaus Combat

Dia 10 de março, o fotógrafo Léo Farias fará a cobertura do evento Skaus Combat. Trata-se de evento inovador no cenário do Kickboxing nacional, chancelado pela WAKO Pro e que concretiza a idealização dos atletas José Aldo Júnior e Emerson Falcão. 

Dizem que no Brasil o ano começa após o carnaval e passado o período de folia, o Skaus Combat se prepara para realizar sua primeira edição no dia 10 de março. O evento vem com a promessa de agitar os amantes do Kickboxing e o público que comparecer a Upper Arena, no bairro do Flamengo, Zona Sul do Rio de Janeiro, vai poder assistir a ótimos duelos. A edição inaugural do evento de Kickboxing terá card recheado de grandes atletas.

Com o objetivo de revolucionar o Kickboxing no Brasil, o Skaus Combat contará com um Grand Prix para definir quem será o campeão da categoria até 60kg, além de mais cinco grandes combates na modalidade K-1 Rules. 

O GP contará com quatro atletas que se enfrentam em sistema de mata-mata para definir o campeão da categoria. As chaves e os confrontos serão conhecidos através de sorteio.

Para o organizador do Skaus Combat, Emerson Falcão, a intenção é levar para o público uma estrutura jamais vista em um evento de Kickboxing no Brasil, valorizando o público e principalmente as estrelas da noite, os atletas. Emerson também falou sobre a felicidade de realizar o evento:

Estou muito feliz em poder realizar um evento desse ao lado do meu amigo e companheiro de trabalho, José Aldo Júnior. Usamos nossa experiência e influência como atletas para fazer um evento inovador que além de ótima estrutura, ofereça qualidade para os atletas e para o público que assistirá ao vivo pela TV. Fomos imparciais na escolha dos atletas e estamos nos empenhando ao máximo para fazer esse evento um marco na história das artes marciais no Brasil“, disse. 

O Skaus Combat contará com nove lutas no total, sendo a principal a final do Gran Prix (GP) masculino até 60 kg. Na disputa estão os atletas Wellington Lopes, Matheus Naccache, Serginho Júnior e Maurício Bibito, que se enfrentam mais cedo nas semifinais. Os combates que definirão os finalistas serão sorteados durante a pesagem, que na sexta-feira, dia 9, na academia Upper.

Card Oficial

Confira ao lado, o card oficial do evento:

Pontos de venda:
Famous Burger: Rua Barão do Flamengo, 35 – Flamengo.
Academia Upper: Rua Marquês de Abrantes, 96 – Flamengo.
Black Label: Rua Lopes Trovão 485 – Santa Rosa.


O evento será transmitido ao vivo pelo canal Combate.


Upper Arena

Em 27 de agosto de 2017, o sonho do Dedé Pederneiras se tornou realidade com a inauguração da Upper Arena. Trata-se de um espaço com 1800 m2 que se tornou o Centro de Treinamento da equipe Nova União, fundada por Dedé em 1995. ⠀ ⠀⠀ ⠀⠀ ⠀

O espaço também abriga diversos eventos de artes marciais e ainda sediará projetos sociais que atenderão crianças, jovens e idosos carentes da região. “Este terreno pertence à Santa Casa da Misericórdia e isso faz parte do nosso acordo. Vamos oferecer aulas para as crianças do orfanato, assim como para o pessoal da comunidade”, explicou Dedé, ainda durante as obras.

Para marcar o início do que Dedé denomina uma nova era no mundo das lutas, a Upper Arena recebeu o Shooto 74.

A Upper Arena está localizada dentro das dependências do Orfanato Romão Duarte, situado à rua Paulo VI, nº 60.

Caso deseje utilizar qualquer uma das fotos da Upper Arena retiradas deste site, a seguinte citação deve ser feita: Foto: Léo Farias.

Léo Farias com Mario Yamasaki

Léo Farias com Dedé Pederneiras e Karen Terahata

Léo Farias com Poliana Botelho